Seguro DPVAT: o que é seguro DPVAT e qual sua importância?

Todas as vítimas de acidente de trânsito, sejam elas motoristas, passageiros ou pedestres, têm direito ao seguro DPVAT, que indeniza por Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de via Terrestre.

Independente de quem seja a culpa, o DPVAT garante reembolso de gastos médicos, invalidez por conta do acidente automobilístico e indenização aos beneficiários (em caso de óbito da vítima).

Apesar de ser um pagamento obrigatório, muitos proprietários de carros não pagam anualmente, já que não oferecem multas nem juros. Entretanto, caso ocorra um acidente, é o motorista quem arca com todas as despesas.

Saiba mais sobre o que é seguro DPVAT e o quanto ele pode ser tão importante para você. Acompanhe!

Seguro DPVAT- o que e seguro dpvat e qual sua importancia

 

O que é seguro DPVAT?

 

DPVAT é um seguro social obrigatório por lei (6.194/74), cuja sigla significa Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de via Terrestre.

Administrado pela Seguradora Líder, o seguro é pago junto com o IPVA e somente pelos motoristas de carros, mas qualquer pessoa que seja vítima de um acidente automobilístico pode ser indenizada. Para isso, basta dar entrada em um dos postos de atendimento com os documentos necessários.

O valor da indenização pode chegar até R$ 13.500, e em caso de invalidez, os valores variam dependendo das sequelas do acidente.

 

DPVAT e sua importância

 

Como mencionado no início deste artigo, nem todo proprietário de veículo paga todos os anos o seguro DPVAT por não acarretar em multas. Mas você sabia que o SUS (Sistema Único de Saúde) é um dos que depende dos recursos desse seguro?

Além de pagar indenização às vítimas de trânsito, 45% do seguro DPVAT é destinado ao SUS, justamente para custear o atendimento à população que sofre acidente de carro. Já para o Ministério das Cidades (DENATRAN), que ajuda a prevenir acidentes por meio de programas, são destinados 5%.

 


Como dar entrada no seguro DPVAT?

 

O abalo emocional após o acidente é inevitável, e pensar em burocracia numa hora difícil, principalmente em caso de falecimento, é bem pior.

Por essa razão, o seguro DPVAT pode ser acionado em até 3 anos após o acidente. Para dar entrada, basta procurar um dos postos de atendimento da Seguradora, munido de documentos pessoais, boletim de ocorrência e documentos da vítima. Dependendo para o que é a indenização (morte, invalidez ou Despesas de Assistência Médica e suplementares – DAMS) pode ser necessário mais documentos, como atestado de óbito ou laudos médicos.

É importante destacar que o próprio beneficiário pode solicitar o seguro, não dependendo da ajuda de terceiros.

Há casos de pessoas que se aproveitam do momento fragilizado da família para dar entrada no seguro DPVAT, em troca de uma porcentagem. Nunca aceite! Você agora sabe como funciona, quem tem direito e como acionar o seguro.

 

O que o seguro não cobre?

 

Como trata-se de um seguro para danos pessoais provocados por veículos automotores, o DPVAT não cobre em seguintes casos:

  • danos materiais (colisão, roubo ou incêndio);
  • acidente fora do território nacional;
  • multas ou fianças do condutor ou vítima do acidente;
  • acidente de trem;
  • danos pessoais por contaminação causada por radioatividade ou combustão nuclear.

Portanto, independentemente de você pagar ou não o seguro DPVAT, é sempre melhor redobrar os cuidados no trânsito para não precisar acionar a Seguradora. Seja você o condutor ou a vítima.

Até aqui você viu o quanto é vantajoso pagar o seguro para não precisar arcar com as despesas integralmente, além de prestar atenção para que terceiros não se aproveitem de um benefício que é só seu por direito.

Agora que você sabe o que é o seguro DPVAT e sua importância, não deixe de pagar assim como é feito com o IPVA.

Add a Comment

Your email address will not be published.